NOTÍCIAS

23/02/2022

Não queremos migalhas, queremos reajuste emergencial de 19,99%, JÁ!



Em plenária nacional, federais reforçam calendário com Dia de Luta em 16 de março e indicativo de greve no dia 23

 

Não queremos migalhas, queremos reajuste emergencial de 19,99%, JÁ!

Divulgação/Fonasefe e Fonacate

 

Nessa quarta-feira, 23, a partir das 18 horas, o Fonasefe realiza uma plenária nacional onde servidores federais vão reforçar um calendário de lutas em defesa do reajuste emergencial de 19,99% para o conjunto do funcionalismo. A agenda de atividades prevê o lançamento de um comando nacional de construção de greve com atividades virtuais, um Dia Nacional de Mobilização com paralisações e manifestações em todo Brasil e um ato em Brasília, além de um indicativo de greve por tempo indeterminado para o dia 23 de março. A plenária você acompanha pelo Facebook da Condsef/Fenadsef.

 

O secretário-geral da Condsef/Fenadsef, Sérgio Ronaldo da Silva, divulgou vídeo reforçando a necessidade do engajamento na mobilização dos servidores federais em defesa de reajuste emergencial de 19,99% para todos e todas. "Quem faz as leis são as lutas. Nada virá de graça", aponta.

 

Confira:

 

Desde o final do ano passado o governo Bolsonaro vem dando sinais diferentes a respeito do valor  de R$1,7 bi reservado no Orçamento da União para reajuste de servidores. Primeiro foi sinalizada possibilidade de reajuste somente a carreiras de segurança pública, incluindo Polícia Federal. Depois, o governo recuou dizendo que não haveria reajuste a nenhuma carreira, apenas em 2023, o que é impossível por esbarrar em leis em ano eleitoral.

 

Em seguida, Bolsonaro e membros do governo pediram compreensão da maioria dos servidores para que novamente o reajuste fosse concedido somente a carreiras como a PRF. Outra informação que circulou foi a intenção de conceder apenas R$400 linear no auxílio alimentação, proposta rechaçada por deixar aposentados e pensionistas de fora. "Nós não queremos migalhas", reforçou Sérgio Ronaldo.

 

A luta da maioria dos servidores, organizados também pelo Fonasefe e Fonacate, cobram reajuste emergencial linear de 19,99%, que representa o percentual de perdas dos três anos de governo Bolsonaro, além da revogação da EC 95, do teto de gastos, e o cancelamento da reforma Administrativa (PEC 32). "Mobilize-se, nos ajude a arrancar os recursos que estão escondidos para continuarem bancando agiotas nacionais e internacionais", pontou.

 

No dia 16 de março tem Dia Nacional de Luta em defesa dos servidores e serviços públicos na luta por reajuste emergencial. "Participe das atividades em sua cidade. Nos ajude a conquistar os 19,99%. Só a luta faz a lei e só na luta vamos conseguir arrancar reajustes justos para o funcionalismo", concluiu o secretário-geral.

 

 
VOLTAR