NOTÍCIAS

30/01/2020

CNTSS/CUT e FENASPS cobram de direção do INSS a realização de concurso público



Entidades estiveram em audiência com Renato Vieira momentos antes de sua saída do cargo; trabalhadores querem medidas eficazes para sanar a crise do INSS

 

Escrito por: Assessoria de Imprensa da CNTSS/CUT

 

Em audiência realizada na última terça-feira, 28 de janeiro, com o então presidente do INSS – Instituto Nacional do Seguro Social, Renato Vieira, e representantes do Ministério da Economia, dirigentes da CNTSS/CUT – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social e FENASPS - Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social reafirmaram a exigência de realização de concursos públicos para sanar os graves problemas por que passa o Instituto.

 

Na Audiência, que aconteceu em decorrência de uma solicitação das entidades trabalhistas, Renato Vieira, que logo em seguida deste compromisso deixaria o cargo, tentou minimizar os problemas vivenciados pelos trabalhadores, e agora viralizado pela mídia privada, de sucateamento do órgão e do êxodo de mão-de-obra em virtude da saída de servidores por motivo de aposentadoria e da não contratação de novos quadros, cujo um dos resultados mais alarmantes é a fila de quase 2,2 milhões de contribuintes esperando a análise de sua requisição de aposentadoria.

 

Apesar da apresentação de um balanço do atendimento prestado por parte de Renato Vieira, as lideranças mantiveram a denúncia do estado precário das condições de trabalho que tem levado a ampliação do tempo de espera para o recebimento dos benefícios e o aumento da fila de processos parados. Muito do que foi mensurado pelo governo só foi possível por conta da grande pressão sobre os servidores que, muitas vezes, se traduz em assédio generalizado. Os trabalhadores frisaram que não são problemas momentâneos, mas, sim, estruturais, onde apenas a realização de concursos públicos significaria o ataque necessário para a reversão deste grave gravíssimo quadro.

 

Veja abaixo a íntegra da nota assinada pelas duas entidades dos trabalhadores sobre o resultado da reunião.

 

 

 

 
VOLTAR